trebåt festivalen i risør

Ele

Chegamos a Risør no início da tarde. Estacionamos fora do centro e fomos a pé o resto do caminho. Passamos por duas ou três pessoas a comer gelado, e acabamos por ter de ir comer gelado também. Mas cada cone de gelado levava meio litro de gelado, fiquei enjoado no final.
Fomos até ao porto ver os barcos até nem havia muitos, mas vim a saber que era porque e domingo e muitos tiveram de partir para as suas terras.
Havia muitas bancas de construtores de barcos ou lojas que vendem acessórios para barcos. Vimos um grupo que angariava fundos para fazer uma réplica de um barco dos vikings. Eles queriam no fazer da maneira tradicional, tinham as ferramentas e alguns troncos já trabalhados.
Um dos barcos que da exposição era uma replica funcional de um barco de vikings. Os marinheiros deste barco também estavam vestidos a rigor. Estava muito engraçado.
Ao longe vimos uns mastros muito grandes. Aproximamo-nos e vimos o “Gonthenburg” um género de uma caravela do tempo das índias. Já o tínhamos visto em Arendal e não quis ir ver na altura, mas agora não queria deixar passar a oportunidade. Vimos o barco por dentro e falamos com algumas pessoas da tripulação. Só métodos tradicionais eram usados neste barco. Achei fantástico que um barco de 1700 tinha sobrevivido e adaptado aos novos tempos. Uns dias de pois tive a triste noticia que afinal era uma replica que fizeram em 2000. Mas tudo bem é uma réplica mas foi feito à moda antiga apenas adicionas certas necessidades para fazer longas viagens. Descobri também que poderíamos fazer voluntariado no barco o que é uma boa oportunidade de férias.
Vimos um pouco de um dos concertos, sentamos num banco à distância e ficamos ali a descansarmos um pouco antes de irmos embora.
No caminho de regresso viemos pela estrada velha para passarmos por tvedestrand, esta estrada era fina demais não dava para passar dois carros sem um deles meter uma roda fora. Mas valeu a pena porque tvedestrand é uma cidade mesmo bonita. Teremos de passar por lá mais tarde.
Ainda tivemos tempo para passar pela pelos nossos amigos portugueses que estavam de volta à Noruega, para dar boas vindas.
Foi um fim-de-semana em grande, de sexta a domingo sempre a partilhar momentos e amor com Ela.

Ela

Saímos de Mandal, passamos por Grimstad e fomos para Risor.
O destino era o festival de barco de madeira. Realizava-se só naquele fim-de-semana. Era a oportunidade para ver alguns barcos e tudo o que estava relacionado.
Chegamos perto do fim. Creio que pelas 16h (e iria fechar às 17h). Tivemos oportunidade de ver alguns artesões a fazerem um barco, pequeno, de madeira, algumas velharias, muita informação, roupa e brindes. Mas o que era ainda mais importante eram os barcos ancorados na marinha. Veleiros e pequenos barcos de recreio estavam ali expostos. No festival estava atracado o galeão Gotemburgo que tivemos oportunidade de visitar.
Já o tínhamos visto em Arendal mas foi em Risor que o visitamos. É imponente e faz-nos imaginar quais as viagens que terá efectuado. O mastro é enorme, o leme igualmente, enfim…
Pouco depois das 17h estava tudo a arrumar as coisas. Ainda havia um trio que cantava no palco um blues muito suave. Ali sentados num banco para o porto, ficamos por um pouco!
A viagem de regresso foi feita pela estrada da marginal. Passamos por Tvedestrand e fomos até Arendal visitar o D. e F. Eles tinham chegado de Portugal no dia anterior e ainda estavam a habituar-se.
Chegamos a casa por volta das 21h e pensámos que grande fim-de-semana que tivemos 🙂

Anúncios