Ele

Como vim a Portugal, aproveitei também para ver o espectáculo dele. É mais uma daquelas coisas que estamos sempre a dizer que temos de ir fazer mas depois nunca vamos. Mas como agora já tenho idade para ter juízo, Ela deu a dica e lá comprou os bilhetes.

Tivemos um dia em grande na minha terrinha, correu tudo bem e ainda melhor do que o espectável. Fizemos um picnic, tomamos banho num lago, menos os que não tinham fato de banho. Foi mesmo especial. Quando chegamos a Lisboa fomos ao encontro de alguns amigos, não houve muito tempo para conversar, mas dar um aperto de mão como deve ser, sabe bem e mata a saudade.

Entramos no Trindade, ainda nunca tinha visto nenhum espectáculo nesta sala mas fez-me lembrar de outros espectáculos no início do nosso namoro. A sala estava cheia, por isso prometia um bom ambiente.

Entra o Tochas e começa as gargalhas, não dá para descrever, é mesmo à Tochas.

Ficamos a saber que não gosta muito de ser interrompido, pela maneira como ele caiu em cima do Júlio, um pobre rapaz que teve a triste ideia de mandar uma laracha no meio do discurso dele. Tudo o que acontecia na sala era causa para um momento de improvisação, que basicamente quer dizer gozar com eles. Houve uma rapariga que se estava a sentir mal e saiu a meio mais os seus amigos, e houve ainda mais situações.

A ideia geral do espectáculo é falar dos sonhos de infância. Mais do que uma vez tenho ouvido, de pessoas que me parecem realizadas e felizes, que é muito importante seguir os sonhos de infância. No caso do Tochas é ser um artista de rua. E é isso que ele gosta de fazer. Mas o meu problema é que a única coisa que me lembro como sonho de infância é ser o homem do lixo. Ela acho q é mais difícil pois o sonho dela era ser polícia. Será que consigo arranjar um emprego part-time como homem do lixo?

Como podem ver apesar de ser engraçado o Tochas passa a sua mensagem, pelo menos fez-me reflectir, outra coisa que ele disse foi para partilharem o vosso sonho de infância com outros, talvez alguém vos possa ajudar.

Depois deste grande espectáculo fomos embora para casa, para descansar da longa viagem, aninhados e felizes.

Ela

“Estou que nem posso…. Estou na mesma!” Na altura utilizava, também, esta frase. Mas, não lhe achava grande piada! E para não falar da personagem, com aquela franja comprida e, nos últimos tempos, a fazer um tótó…

Mas, ver o tochas ao vivo é daquelas coisas que tens que fazer. Depois decides se gostas ou não! Sim, porque há vida para lá da publicidade.

O dia calhava mesmo bem. A hora, melhor ainda 🙂 23.59!!!Sempre uma boa hora! Depois da bebida com alguns amigos dELE no Bairro Alto lá fomos para o teatro Trindade.

Moooooooontes de gente à porta!!! Lá está… pensava que pouca gente ia!

Observei o palco e fiquei horrorizada. Um balcão com umas garrafas de água (ai umas 5). Possas!!!! que exposição!!! Mais nada???? Homem Corajoso!

E ai vinha ele. Perguntando isto aquilo, dissertando da sua experiência, da sua compra do frigorífico, do seu pai, da sua Avelar… E depois o Júlio! Que foi o que falou na hora errada…

Na plateia estava a sua fã com + idade que se estava a fazer à promoção do jantar (espero que tenha conseguido!) e outra que se sentiu mal devido ao calor… Mentes fracas que não aguentam uma saunazinha…

Entre o Júlio e o bairro da Estefânia (conhecido bairro operário de Lisboa :-/) passámos 2 horas a rir. Ora mais ora menos!

Agora já vejo para lá das newsletters… e vou continuar a ver!

Adorei ver tochas ao vivo e vou continuar a seguir a sua carreira… Força!

Anúncios